ROMANCE x AMOR

 

Nós podemos viver uma relação romântica e amorosa, mas isso não é o amor em si.
O ato de se relacionar romanticamente muitas vezes envolve posse, envolve ciúmes.
Às vezes estamos nos relacionando com alguém e nos sentimos bem, desejamos estar com aquela pessoa, essa pessoa nos faz bem e dizemos que a amamos muito por causa do conforto que ela nos gera, mas isso não é amor. Beijos e abraços são só recursos de interação que usamos. Isso é afinidade, damos algo e recebemos algo em troca. Um beijo não acontece se não tiver duas pessoas interagindo. Os dois recebem e os dois dão. Sexo não acontece se não tiver duas pessoas interagindo dando e recebendo ao mesmo tempo, só acontece com a participação ativa dos dois, mas isso não é amor, é troca, mas pode ser vivido com amor.
Isso é só para trazer uma compressão e começarmos a dissociar a troca do amor. E eu não estou dizendo que isso é ruim, eu estou apenas dizendo que relacionamento é troca, seja em que grau for. Independentemente do grau de possessão que exista, a dinâmica só existe se tiverem duas partes interagindo, as duas dando e as duas recebendo. E isso não é ruim, tanto assim que nós vivemos trocando.
Mas amor é muito mais que isso, amor é olhar para a pessoa que desejamos ter ao nosso lado e que sentimos falta e ter um sentimento tão puro por essa pessoa que mesmo desejando tê-la ao nosso lado, nós queremos o bem dela e entendemos o quanto é importante que ela tenha a liberdade de viver do jeito que quiser e desejar que aonde quer que ela esteja, com quem for que ela esteja, vamos desejar o seu bem. Isso é amor.
Muito podem achar que isso é utopia. Eu digo que enquanto não integrarmos a consciência amorosa que somos isso vai continuar a ser utópico, mas no momento que nós integramos a nossa consciência amorosa nós vamos poder viver isso.
Amor é querer o bem do outro essencialmente, independentemente de reciprocidade. Embora possamos também viver uma relação harmônica recíproca, o desejo recíproco, com amor e isso é que faz um relacionamento sólido.
Portanto, amar não é dizer: eu te quero bem enquanto o outro está na cama com você, ou te beijando do jeito que você gosta ou te dando a atenção que você gosta, porque isso é troca. Amar é querer o bem do outro aonde estiver e com quem estiver, mesmo que você fique sofrendo com o coração apertado e sinta a falta física do outro, quando você deseja que o outro fique feliz e bem, isso sim é amar.
Quando você pensa se não estiver comigo eu quero que se dano, isso não é amor, isso é posse. No momento que nós amamos a posse fique em segundo plano, porque reconhecemos o direito de liberdade do outro.
Eu não estou desqualificando o relacionamento afetivo romântico onde duas pessoas se dediquem exclusivamente uma a outra, porque isso é ótimo. Eu só estou deixando claro o que é o amor e o que é a troca. E podemos ter a troca com amor e esse é o melhor dos mundos para um relacionamento.

Quer saber mais sobre esse tema e outros? Assine nossa newsletter!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *